segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Caçador de Sonhos


Estava uma noite quente, devido ao dia quente que se havia feito sentir durante o fim de semana. A noite estava escura, embora se vissem todas as estrelas a brilhar no céu, quase que não havia lua, parecia um berço que dava vontade de ir dormir um pouco e apreciar o espetaculo que via na terra, distante de onde estava.
Viam-se luzes, umas a andarem de um lado para o outro, provavelmente de um ou outro veiculo que passava pelas ruas, outras luzes paradas de algumas casas, ou de luzes das ruas. Parecia um mapa com todas aquelas luzes.

Todas as noites tirava á sorte para onde ia, mas nesta noite em particular não me apetecia fazer isso, queria apenas dambular por aí sem ter que ir obrigatoriamente a algum local, ou a alguma casa em particular, eu sabia as minhas obrigações, mas ninguem morria se demorasse um pouco a apreciar esse mundo que tanto me fascinava.

Comecei por locais onde não havia muita iluminação, não que me vissem, mas por querer andar na escuridão, sozinho a ver tudo quanto pudesse, ao fim e ao cabo não era todos os dias que podia fazer gazeta.
apreciava toda a vida que se movimentava pelas diversas ruas, ouvia conversas reais, não apenas em pensamentos como ouvia normalmente, ouvi musica de uma rua ali perto, provavelmente de alguem a quem não havia ainda chegado sono ou de algum veiculo.

De tempos a tempos via passar outros que como eu procuravam os proximos humanos que ja dormissem, apareciam aqui e ali vindos de alguma casa onde os seus habitantes dormiam relaxadamente, andavam todos muito aterefados, sempre a aparecer e a desaparecer muito rapidamente. como eu axava estranho verem-me ali apenas a preciar toda essa azafama e não me dizerem nada, não estranhavam? Poderiam eles já ter tido dias como os meus? que so me apetecia ir até a lua e ficar e adormecer naquele berço que me chamava.

Quando dei por mim estava a passar junto a uma zona mais pacata deste sitio a que os entendidos e mais velhos chamavam de cidade, não se via ninguem nas ruas, não havia veiculos, o unico movimento visivel era de uma luz que
 ora acendia, ora apagava de um candeeiro de rua, fora isso nada se ouvia, nada se via de estranho. Estava tudo tão calmo...

Foi aí que a vi, dormia profundamente, e sabia que estava ali por causa dela, parecia uma anjinha a dormir, serena, complectamente relaxada. Sem duvida, era para ela que eu estva destinado era ela que eu iria trabalhar essa noite.

Quando me aproximei da tua janela percebi que estava aberta, era tudo o que precisava, ja tinha canal aberto contigo para poder ir fazer o que me estava destinado.
Estavas tão serena que nem sonhavas nada, coisa que mudou quando entrei no teu sono, estava a pensar em fazer-te sonhar com o paraiso, uma coisa bem diferente do se viria a trasnformar no final da noite.

Entrei no teu quarto e apreciei-te, eras linda, a pele cor de chocolate, labios carnudos. comecei a entrar na tua cabeça, no teu sono, e comecei por te colocar num barco, um iate enorme, tu estavas deitada no deck a apanhar sol, não havia ondas e não estava muito calor, tinhas um bikini... Foi aí, nesse ponto em que o teus sonho... e a minha vida se alterou! Exactamente por causa desse detalhe... um bikini!
Quando olhei para o teu corpo destapado para poder imaginar qual o bikini que irias preferir, ja não consegui deixar de pensar que o teu corpo não tinha qualquer bikini, debaixo do teu vestido prata, não tinhas absolutamente nada vestido, claro que nesse momento o teu sonho mudou, afinal ja não estavas de bikini, estavas complectamente nua, e o mar começou a agirtar-se... tentei consentrar-me para que o fizesse parar, mas não consegui, a solução foi colocar-te na areia da praia, em cima de uma espriguiçadeira, claro, toda nua... não conseguia parar de te imaginar assim, tal como estavas a minha frente.

Foi quando sem eu perceber muito bem como, ali estava eu... ao teu lado, sem conseguir controlar mais o teu sonho, sem saber o que fazer, ou como parar uma coisa que sabia ser perigosa.
Sentei-me ao teu lado e comecei por passar as minhas mão delicadamente pelo teu corpo, beijei-te os ombros, a face, os labios, tu reagiste, mas eu continuei, abeijar-te os braços, a barriga, o peito.
Tu estavas cada vez mais agitada, mas não acordavas, os meus beijos deixavam-te tranquila, foi quando comecei a passar um crme em ti... primeiro um pe, e a meia perna até ao joelho, depois o outro. Depois até á virilha, depois o outro lado. depois um braço com cuidado para que não faltasse nenhum pedacinho de pele, ao mesmo tempo que te passajava o corpo. depois o outro braço, e a barriga. Nesse momento já estavas de barriga para cima, então passei o creme na tua barriga e de vez em quando deixava as mãos fugirem ora para um peito, ora para o sexo, que agora conseguia ver perfeitamente depilado, depois novamente para o outro peito, depois até ao sexo... tu estavas bem mais agitada, de vez em quando respiravas fundo e gemias... eu não paravas eu sabia que podias acordar a qualquer momento, mas eu não conseguia controlar-me no teu sonho.
As tuas pernas ora se torciam, ora se abriam onde via o teu sexo humido e lindo, quanto mais eu via, menos conseguia controlar. As tuas pernas ora levantavas ora te esticavas, em determinado momento foi como se deixasses de lutar contra tudo e acalmaste, calmamente abriste as pernas, subtilmente, bem calma. Eu vi a minha cabeça baixar no teu ventre, para o meio das tuas pernas e beijar, lamber, chupar... tu gemias, agarravas a minha cabeça empurando-me contra ti, por momentos pensei que estarias acordada. Mas não! estavas a dormir profundamente.

Tenho até inveja de mim mesmo, queria ser eu no teu sonho e não a minha imaginação, mas não conseguia controlar mais a minha imaginação o teu sonho!

Estive assim um bom tempo e tu cada vez mais agitada, e gemias cada vez mais alto... senti que estavas a vir, e o sonho acabou!
Quando abri os olhos ali estavas tu na cama com as pernas semi abertas a respirar fundo, ainda gemeste. e tinhas os olhos abertos, como se olhasses para mim, eu sabia que não era possivel veres-me, mas tu disseste "Obrigado", fiquei com medo que realmente me estivesses a ver, mas tu viraste-te novamente de lado e voltaste a adormecer.

Fiquei ainda uns bons minutos a ver-te dormir, foi quando percebi que nãotinha sido eu a interferir no teu sonho como estava habituado a fazer, mas sim o contrario, tu interferiste no meu, e eu dormi, junto a ti num sonho maravilhoso.

"Boa noite, e bons sonhos. Comigo..."


Obrigado a todos e Espero que gostem de um conto ligeiramente diferente, onde encontramos sedução, erotismo com sentimentos e fantasia.

Pedro Manuel

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. É muito importante para mim.
Obrigado.